Posted by

A crise coronavírus, vem causando a morte de milhares de pessoas e profunda mudança nos hábitos e costumes, ao redor do mundo. É nesse momento de sofrimento e tribulações que encoraja o ser humano, a se reinventar principalmente quem convive no meio esportivo.

É visível que a pandemia baixou a bola do futebol, com a quebradeira de clubes ricos e futuro cinzento dos clubes pequenos e pobres em todas as regiões do país, do Iapoque ao Chuí, do Norte ao Sul, sem exceções, em todas as divisões do futebol masculino e feminino.

Foi exatamente neste momento de lamentações que Lúcio Barão, Presidente do Barbalha Futebol Clube do Ceará, assumiu, o papel de líder dos chamados clubes nanicos e excluídos, editando uma carta e distribuindo a mesma por whatssap para 250 clubes.

Foto divulgação.

Na carta “Lúcio Barão”, cabeça pensante, do movimento nacional, pede união do grupo para juntos convencer e ARROCHAR a CBF para atender as reivindicações solicitadas. Ainda no blogdochicopontes.com.br o Presidente do Barbalha, cita nominalmente os nomes do Atlético Acreano, Galvez, Nauas e São Francisco como apoiadores do movimento.

Foto Blog do Boa / CE.

Andirá, Humaitá, Vasco e Plácido de Castro não foram mencionados por “Lúcio Barão”, mas seus nomes constam na relação dos 250 clubes. O único acreano que se negou assinar a carta foi o Rio Branco Football Club, pois o Presidente Neto Alencar já tinha declarado ao blogdochicopontes.com.br que não compactua com esse tipo de movimento. Agora assista a fala do Presidente do Barbalha no blogdochicopontes.com.br:

No entender dos Presidentes dos chamados clubes nanicos, a CBF tem obrigação e o dever de socorrer seus filiados, nesta hora de comoção social. Para os dirigentes, a CBF é uma instituição milionária e que sua conta bancaria é a mais robusta do futebol da América do Sul.

A qualquer momento a carta dos 250 clubes deve ter desdobramentos e reações da Confederação Brasileira de Futebol que o momento não sinalizou se vai apoiar o movimento.

DIRETOR DE CLUBE DO ACRE, CHUTA O PAU DA BARRACA CONTRA TAXAS DA FAAP.

Foto Divulgação.

Em decorrência da pandemia do coronavírus,  a CBF resolveu isentar todos os clubes das taxas relativas ao registro de contratos de jogadores, na retomada dos campeonatos regionais, mas nesse momento de dificuldade nem todos procuram ajudar e sim atrapalhar. Foi o que declarou Nerycildo  Silva Diretor do Plácido de Castro ao blogdochicopontes.com.br.

O dirigente do Tigrão que tem sua casa a 115 Km da capital acreana, “CHUTOU O PAU DA BARRACA” Porque foi surpreendido pela FAAP, Federação das Associações de Atletas Profissionais, que está cobrando 17,20 por cada inscrição de jogadores para seqüência da temporada.

Nerycido Silva deixou sua mensagem de revolta no blogdochicopontes.com.br e pede providências para acabar com essa cobrança abusiva, ouça:

CNN BRASIL / HOJE

 

        

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *